terça-feira, 14 de agosto de 2012

Hoje foi muito parecido com ontem


Hoje foi muito parecido com ontem. Talvez, hoje, seja bem parecido com terça passada, também. Comprei pão, passei pela esquina. Vendia-se uma casa. Um cachorro latia e um carro buzinou para a rua vazia.

Hoje lembrou quarta e quinta. E de tão parecido com ontem, me dei conta de que tinha companhia em quase todas as noites da semana passada. Hoje foi um dia muito parecido com amanhã, certamente.

Hoje tive muitas saudades suas, não soube conduzir o pensamento e acabei lembrando de você novamente. E do teu peito, repouso do meu sono
. Pensei em você e em tudo que ainda tenho pra perder e o outro tanto que vem por aí. Hoje falei demais. Mas não adianta, se engana brutalmente quem pensa que existe correlação entre amor e maturidade, meu bem. A gente segue a lógica do arrependimento pra não tropeçar e não morrer de orgulho.
A fuga se afogou num copo de chá de pêssego com gosto de boldo.

Hoje talvez tenha mesmo sido terça passada, com sorte será sexta ou sábado. No fim tudo se adapta e se arrasta novamente ao habitual.

E como eu era sem você? Não lembro, não lembro mesmo, prefiro pensar se hoje é terça, que pra almoçar tinha feijão, que amanhã será quarta e choverá a tarde toda, e depois virá quinta, e se eu puder, chegarei até sexta.
Hoje foi engraçado ver o quanto arrepia a brisa e que a gente vai ficando velho e aprendendo a esperar cada vez menos, e constatando que ainda assim, todo mundo sente medo.

Hoje foi mesmo semana passada. A minha postura é errada, a cadeira balança e me engole sem ter opção. Acho que é domingo dentro de mim.

2 comentários: